segunda-feira, 18 de outubro de 2010

PRÁXIS(ação ordenada para um certo fim)SAIBA


           Pra que se saiba logo de início, esse Blog foi feito sem nenhuma intenção de impor opiniões. Pra que se saiba, queremos estimular o senso crítico daqueles que têm, mas que ainda não o despertaram. Pra que se saiba, nós, jovens, com uma relativa boa instrução, privilegiados por termos a internet como ferramenta base de nossas vidas, temos a idéia de que é obrigação a investigação da verdade: a curiosidade intelectual é o motor das idéias; logo, o motor social. Não pensem, porém, que nós, autores desse Blog, temos a verdade absoluta sobre tudo. Tentamos apenas embasar nossos argumentos para expô-los aqui. Argumentos esses que, por não serem a verdade absoluta, podem sofrer mudanças ao longo da existência desse Blog, ao longo da existência de nossas vidas.
                Pois, bem. Pra que se saiba, nos revolta como nós, jovens ditos bem instruídos, valorizamos a degradação da mulher, acreditamos em qualquer coisa que lemos, ou simplesmente não aproveitamos as ferramentas que temos (como internet e revistas) para formarmos nossa opinião. Ferramentas essas que, há 20 anos – ou até menos , não nos era disponibilizadas; e mesmo assim, pessoas iam às ruas lutar pelos seus direitos: idéias distintas, mas postas em prática. Não queremos formar um dogma – há discordâncias entre estes que vos escreve, acreditem ou não. É por essas discordâncias também, e talvez principalmente, que resolvemos criar este Blog. Discordâncias acerca daquilo que é discutido, mas uma concordância de que discutir é preciso, é dever. É dever nosso, que temos as ferramentas e não as usamos corretamente, da forma mais produtiva. Forma mais produtiva que é não pensar de forma preguiçosa: “o Brasil não tem jeito, só temos políticos corruptos e não há o que se possa fazer”. Confessamos que não sabemos qual a solução para o nosso país; mas confessamos também que é inadmissível não tentar mudá-lo! Talvez não precisemos ir às ruas, como nossos pais. Mas temos a certeza de que fazer algo é indispensável, incomodada pela necessidade da mudança. O que fazer, então?
                Pra que se saiba, não sabemos. Nosso intuito, como dissemos anteriormente, é compartilhar idéias e tentar mudar algo que com certeza não está dando certo: a inércia e a despolitização do jovem. Despolitização, leia-se, não somente no campo da política. Mas na cultura, nos hábitos, na cidadania. Nós, jovens privilegiados, temos a obrigação de usar todas as armas que nos é dada para tentar algo diferente, algo novo. Aqueles que não as têm, seja fantasia ou não, que façamos algo para que daqui a 50 anos, quem sabe, possam compartilhar do mesmo privilégio. Pra que se saiba, portanto, está aberto o debate. Contamos com a participação de todos. Obrigado e bem-vindos!

4 comentários:

  1. Uôu!
    Começando bem... Bem com os pés no chão! Que não sirvamos de exemplo, e sim de instrumento! Vamo que vamo!

    ResponderExcluir
  2. Ficando parado é que não se vai pra lugar nenhum. Muito bom!

    ResponderExcluir